Você, Fonte de Amor e Luz para os outros

Na reunião de hoje, quarta-feira dia 22/04/2015, apresentamos tema sobre o tempo e os sentimentos em relação ao que somos, o que queremos, e em relação ao próximo, o que guardamos dentro de si, ao que podemos alcançar.

Como uma Fonte no Deserto

“O sentimento do irreparável gelou-me de novo.

E eu compreendi que não podia suportar a ideia de nunca mais escutar esse riso.

Ele era, para mim, como uma fonte no deserto.

Se tu me cativas, nós teremos necessidades um do outro.

A gente corre o risco de chorar um pouco,

quando se deixou cativar.

(Exupéry)

Tema de Reuniao - 22-04-2015



Pessoa-fonte, que brota, que emana, que jorra sua riqueza interior para a sede dos outros. Pessoa ‘que-se-dá’, transborda, vai ao encontro. Não como poço, que apenas ‘guarda-para-si’, na espera dos que o procuram.

Fonte é a vida que se renova, se revitaliza a cada momento, para que seja cristalina e pura, transparente e límpida: manancial de energia para todos os enfraquecidos da jornada.


Cultivar-se para cultivar os outros, cativando-os, para tirá-los do círculo estreito de seu pequeno mundo, abrindo-os à dimensão do amor e da verdadeira fraternidade. Os laços que criamos com os outros não apenas nos realizam, mas possibilitam aos outros a descoberta de novas experiências, maravilhosas e deslumbrantes.


– Sentir, de repente, que alguém nos ama.

– Saber que somos importantes para ele.

– Sentir necessidade de sua presença.

– Saber que seu amor nos torna únicos, tudo isso abre infindas perspectivas de amizade, dantes nunca experimentadas.


Uma fonte para o peregrino no deserto é tudo que ele mais deseja para matar sua sede. Assim é o amigo. Assim é você: fonte-geradora-de-vida para aqueles que seu coração cativou.

Mas, nesse mundo da pressa e do automatismo, nesse mundo dos números e do consumo, nesse mundo da eficiência e da produção, em que o “minuto perdido” é “dinheiro perdido”, como se pode “perder tempo” com as coisas do coração, deixando de lado preocupações e negócios, deixando de lado reuniões e compromissos, para sentar e escutar, com gratuidade e acolhida, com paciência, amor e interesse? É possível?…


Dispomos ainda da atenção que o filho precisa, do carinho que o amigo necessita, da ‘palavra-de-ânimo’ que o desolado busca?


Saber “perder tempo”… Eis um outro segredo!


Tão pouco valorizado! Tão pouco acreditado! E, no entanto: fundamental!

Só um amor assim: generoso, total, responsável, desinteressado, realiza o milagre: alguém se torna o único, o mais importante, o insubstituível.


Você, criando assim novas fontes. Estas, por sua vez, extravasando o manancial de sua água-amor, energizando fontes adormecidas, transformando-as em centrais geradoras. E o círculo se abrindo sempre mais, sempre mais, num abraço que se estende ao infinito, ‘amorizando’, revitalizando, programando o universo no amor.


Que sonho bonito! Que sonho evangélico! Que sonho inconfundível!

Você compreenderá que o amor é a única tarefa digna do homem, que o amor é a cura de todos os males que afligem o mundo, que o amor é a única solução capaz de salvar nosso planeta da catástrofe e da autodestruição.


“Para o dia existe o sol, para a vida, o amor”.

Tempo para os outros, que não vise lucro, a não ser a alegria de amar.

Tempo para os outros, que não vise interesse, a não ser o de acolher o outro em você.

Tempo para os outros, cujo fim único seja a felicidade de ter promovido alguém, a felicidade de ter cativado alguém, e deixado cativar-se.


“Os homens esqueceram esta verdade, disse a raposa ao principezinho. Mas você não a deve esquecer.”


Tempo para os outros… Isso é amor! Tudo que, em certos momentos, é preciso fazer. Este é um “segredo” que desafia você. Descubra-o… e faça o mundo sorrir de novo!



(Carlos Afonso Schimitt,

Revisado pelo escritor paranaense Jalil Kamel Elias Bou Assi)

Fraternalmente,

 

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta