Tema de Reunião: A Maçonaria Simbólica Operativa e Cooperativa

Na reunião de hoje, quarta-feira dia 17/06/2015,  levamos ao leitor a conhecer algo da Maçonaria Universal através de uma pesquisa para nossa reflexão.



“A Ordem Maçônica é constituída por Homens resolutos,

iniciados e de caráter ilibado. É uma Ordem, regular,

legítima, independente, soberana, tradicional e reconhecida,

que admite, homens dispostos a construir a sociedade melhor,

dentro dos ideais da Maçonaria Universal. É uma Entidade iniciática,

filosófica, cultural, filantrópica e sem fins lucrativos”.

colunas do templo

Em reflexão sobre o objetivo da Maçonaria, notamos que trata-se o da procura da verdade nos seus mais variados aspectos, sendo utilizado como linguagem fundamental a linguagem simbólica; esta que, ainda há pouco, parecia ultrapassada, ganhou nova força e vigor da vida ao reconhecimento por muitos (na literatura, na arte e até na ciência), da relatividade do conhecimento puramente racional.

O simbolismo maçônico mergulha as suas origens no esoterismo cristão, puramente racional (Joanistas), mas também nas mais antigas fontes iniciáticas (Caldéicas, Egípcias e Gregas). Para os antigos, os instrumentos do seu conhecimento eram a razão e a fé, onde acreditavam que a primeira arte, a razão, não pode alcançar tudo e sabiam dar lugar à intuição.

Na Idade Média, os Guardiões da Tradição Esotérica foram os judeus e os árabes (sobretudo as ‘Seitas Fatimistas’ e Esmaelistas), exatamente na época em que os templários estavam em contatos com eles… 

O simbolismo permite através do tempo e do espaço, estabelecer a relação adequada entre o sinal e as ideias, e a iluminação que os símbolos provocam, permite simultaneamente aprender os diferentes pontos de vista, e unificá-los revelando a unidade que os transcendem, e fazendo passar do ‘conhecido’ para o ‘desconhecido’, do visível ao invisível, do finito ao infinito. 

São os símbolos que ajudam a criação da iluminação intelectual que a Ordem tem por objetivo criar nas inteligências de seus discípulos. Por outro lado, a verdade de que todo o maçom persegue e que foi motivo da sua entrada na Ordem, o que não poderá alcançar-se através da via do Amor; esta,  implica tolerância ativa e humildade, e faz compreender que é o conjunto que importa e que a razão individual vale só na medida em que participa no Absoluto, e é esta noção de amor, concebido como modo de apreensão do conhecimento, guiado pela tradição, que permite a razão e a ideia universal, ou seja, a verdade.

O esoterismo tradicional e os seus fins iniciáticos exerceram durante séculos uma influência considerável sobre as diversas formas de pensamento e as suas manifestações. Sabe-se, desde Berger, que a razão didática não é a única forma de pensamento, e pela contribuição dada pelos grandes.

Descobertas da Ciência diluiu-se em oposição simplista entre o materialismo e o espiritualismo. Assim, reponha-se hoje, em lugar de honra, o princípio fundamental do hermetismo: “A Unidade. Todo está em Tudo”.

Por isso a Maçonaria continua viva, e senão forem desvirtuados os seus objetivos, seguidas as vias que propõem de forma corajosa e correta, ela irá contribuir de forma importantíssima para o reencontro do Homem consigo mesmo, para a reintegração final do Homem na sua essência, tanto pelo intelecto quanto pelo coração. 

Construamos, pois, a Maçonaria dentro e fora de cada um, uma maçonaria que se posiciona como criadora de um Homem novo, verdadeiramente irmão dos outros homens, e que com toda a propriedade, possa ser chamado Filho da Luz.



* M.’. I.’.    Mestre Anônimo,  revisado pelo escritor paranaense Jalil Kamel Elias Bou Assi

Fraternalmente,

 

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

 

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta