Parapsicologia – A Cura Psíquica

Caros leitores, conforme solicitado estamos repassando esta semana um assunto muito interessante no campo de estudo sobre o tema da parapsicologia como cura psíquica, sendo um aspecto potencial humano vibracional.

imagem

Parapsicologia – A Cura Psíquica

O uso da imposição das mãos para curar doenças já tem milhares de anos. Foram encontrados indícios de sua utilização pelos antigos egípcios no “Papiro Ebers”, escrito por volta de 1552 a.C.
Esse documento descreve o uso da cura por imposições das mãos no tratamento médico, quatro séculos antes do nascimento de Cristo. Os gregos já utilizavam o toque terapêutico para curar doentes em seus templos asclepianos. Os escritores de Aristóteles descrevem em detalhe o uso da imposição de mãos em Atenas, para restaurar a visão de um cego e desenvolver a fertilidade a uma mulher estéril.
A bíblia contém muitas referências ao uso da imposição das mãos para fins terapêuticos e espirituais. Sabe-se com segurança que muitas das curas milagrosas de Jesus foram feitas através da imposição de mãos. Jesus disse: “Estas coisas que Eu faço vocês as farão maiores ainda.”
A cura por imposição das mãos, tanto quanto a pregação e a administração dos sacramentos, foi considerado parte dos deveres dos primeiros sacerdotes cristãos. Nas primeiras igrejas cristãs, a imposição das mãos foi combinada com o uso sacramental da água benta e de óleos santos.
Ao longo dos séculos seguintes, o papel da igreja como agente administrador de cura, começou gradualmente, a declinar. Na Europa a administração da cura era realizada pelo “Toque Real”. Reis de diversos países europeus eram supostamente bem sucedidos na cura das doenças como tuberculose, escrofulose; através da imposição das mãos.
Na Inglaterra esse método de cura foi iniciado por Eduardo, o confessor, e resistiu durante alguns séculos, chegando ao fim com o reinado do cético Guilherme IV. Muitos das primeiras tentativas de cura pela imposição de mãos pareciam basear-se numa crença nos poderes de Jesus, do rei ou de um determinado curandeiro.
Na opinião de outros teóricos médicos contemporâneos, esses efeitos curativos eram mediados por forças vitais e influências especiais existentes na natureza.
Vários primeiros pesquisadores que se interessaram por estudar os mecanismos de cura teorizaram a respeito da provável natureza magnética das energias nela envolvidas. Um dos primeiros a propor a existência de uma força vital magnética na natureza foi o controvertido médico Teopturastus Bonbastus, também conhecido como Paracelso.
Além de descobrir novas terapias farmacológicas, Paracelso fundou o sistema simpático de medicina, de acordo com o qual as estrelas e outros corpos (especialmente ímãs) influenciavam os seres humanos por meio de um fluído ou emanação sutil impregnava todo espaço. Sua teoria era uma tentativa de explicar a aparente ligação entre os seres humanos, as estrelas e outros corpos celestes. O sistema simpático de Paracelso poderia ser considerado uma contribuição astrológica pioneira, a respeito das influências dos planetas e das estrelas sobre a doença e o comportamento humano.
A ligação que se propunha existir entre os seres humanos e os céus era constituída por um fluído sutil, difuso, possivelmente uma espécie de éter primitivo encontrado em todo o universo.
A força vital, em vez de estar contida dentro de um indivíduo, brilhava dentro e em torno dele, como uma esfera luminosa que tivesse a capacidade de funcionar a distância.

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann


Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando Por uma Humanidade Mais Feliz!

 

 

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta