O Terceiro Cháckra

Caros leitores,

Na reunião iniciada às 20:00hrs no dia de hoje, quarta-feira 23/10/2013, foi desenvolvida sobre o tema do Terceiro Cháckra.

O terceiro cháckra é o cháckra do plexo solar. Os desequilíbrios nesse centro também despertam um crescente interesse, pois se trata de um local onde é comum ocorrerem bloqueios energéticos. Conforme foi mencionado anteriormente, o cháckra do plexo solar fornece energia sutil nutritiva para a maioria dos principais órgãos envolvidos nos processos de digestão dos alimentos e purificação do organismo.

Terceiro Chakra

Entre esses órgãos incluem-se o estômago, o pâncreas, o fígado, a bexiga, o baço, as glândulas supra-renais, as vértebras lombares e o aparelho digestivo de maneira geral. (O intestino delgado e o cólon estão associados ao segundo cháckra).

Considerando as coisas a partir de uma perspectiva emocional e espiritual, o cháckra do plexo solar está associado à questão do poder pessoal do indivíduo. O poder pessoal poderia ser interpretado como uma sensação de controle sobre a própria vida. O poder pessoal também está relacionado com o modo como o indivíduo vê a si mesmo em relação aos outros e com o modo como eles vivem suas vidas. Ele está sujeito aos caprichos dos outros ou considera que detém o controle sobre sua vida e se sente satisfeito com seus relacionamentos?

As pessoas com a chamada “consciência de vítima”, que não têm nenhum senso do controle sobre suas vidas e crêem estar condenadas  a serem exploradas pelos outros no futuro muitas vezes apresentam um desequilíbrio no cháckra do plexo solar. O fluxo de energia sutil através do cháckra do plexo solar é diretamente afetado pelo modo como o indivíduo encara o universo em que vive, isto é, se sente à vontade com o mundo e o considera um local acolhedor ou se, ao contrário, considera-o um local perigoso, onde coisas ruins estão sempre prestes a acontecer.

Num mundo em rápida transformação e que exige cada vez mais da mente, do corpo e do espírito, é fácil compreender por que o stress pode representar uma forma de doença causada por bloqueio energético no centro do plexo solar. A dominação, a cólera e a tendência para maltratar os outros também podem ser associados a um funcionamento anormal do centro do plexo solar.

Frequentemente, essa cólera é uma manifestação de um sentimento interior de impotência que pode ser descarregado em espectadores inocentes, colaboradores ou, até mesmo, nos filhos de pessoas que têm muita energia armazenada no centro do plexo solar. Isso poderia ser considerado um mau uso das energias do plexo solar.

Num nível simbólico, o cháckra do plexo solar representa o elemento fogo. A região do plexo solar, de fato, assemelha-se a um Sol em miniatura, queimando energias liberadas pela oxidação química dos alimentos durante o processo de digestão – uma espécie de fogo interior. Se a chama interior não estiver bem regulada, ela pode efetivamente fazer um buraco na parede dos órgãos associados ao cháckra, como no caso das úlceras do duodeno.

O centro do plexo solar também é a sede da cólera, da agressão e de outras emoções. Essas emoções muitas vezes estão relacionadas com o senso de poder pessoal do indivíduo e também às impressões a respeito do grau de controle que ele parece ter sobre a sua vida. Se as questões relativas a esse cháckra não estiverem conscientemente resolvidas, a pessoa poderá ver-se às voltas com um conflito interno, o que daria origem a uma preocupação com a dominação e com o controle sobre as outras pessoas.

A questão, nesse caso, transforma-se num conflito entre dominação e submissão. Assim, a pessoa que se preocupa ou se apega demasiadamente às lições do centro do plexo solar pode tornar-se tirânica devido à sua aparente agressividade e presunção ou, pelo contrário, transformar-se numa pessoa covarde, tímida e submissa.

Muitas vezes os indivíduos que apresentam bloqueios no plexo solar podem adotar alternadamente um ou outro tipo de comportamento, conforme a situação. Curiosamente, alguns estudos psicológicos realizados com pacientes que sofrem de úlcera revelaram que essas pessoas muitas vezes se obrigam a assumir as responsabilidades de uma posição dominante, na qual exercem algum tipo de poder; no íntimo, porém, elas frequentemente são passivas, dependentes e submissas.

Os desequilíbrios no cháckra do plexo solar podem afetar qualquer um dos órgãos do corpo que recebem energia a partir desse centro. Assim, as tensões cada vez maiores vividas no local de trabalho em virtude das crescentes exigências feita pelo empregador, junto com um senso interior de impotência para alterar o rumo da própria vida, podem facilmente se manifestar na forma de uma úlcera no revestimento do estômago ou do duodeno. As glândulas supra-renais também estão ligadas ao cháckra do plexo solar. (Alguns textos esotéricos consideram que as supra-renais também possuem uma ligação energética com o cháckra-raiz.)

As glândulas supra-renais desempenham um papel importante na ativação hormonal dos sistemas corporais durante as fases do stress. Quando há um bloqueio no centro do plexo solar, podem ocorrer doenças que provocam a degeneração das glândulas supra-renais e, consequentemente, fadiga e fraqueza. Assim, o cháckra do plexo solar é um importante centro de energia do corpo e contribui par a aparente vitalidade da pessoa.

Outra doença comum associada a um desequilíbrio no cháckra do plexo solar é a diabete. Embora esse aspecto energético sutil da diabete nunca tenha recebido atenção por parte dos médicos ortodoxos, ele, todavia, é importante para a patofisiologia do processo mórbido. Poder-se-ia dizer que nos diabéticos a doença é acompanhada de um sentimento de perda de poder pessoal.

Outros reflexos de um desequilíbrio no plexo solar poderiam estar relacionados a uma saudade do passado ou do que ele poderia ter sido. Às vezes o desequilíbrio pode derivar de uma profunda necessidade interior de poder controlar a própria vida. Isto não quer dizer que todos os diabéticos sejam pessoas tristes e incapazes vivendo das recordações do passado. A maioria dos conflitos emocionais interiores que afetam o funcionamento dos cháckras são profundos sentimentos inconscientes, que em geral não são reconhecidos conscientemente e tampouco expressos verbalmente para aqueles que estão em torno da pessoa.

Muitas doenças que refletem desequilíbrios nos cháckras são resultado da inserção de dados incorretos nas velhas fitas da memória que foram gravadas e programadas na mente inconsciente durante as primeiras fases da vida da pessoa. Essas fitas estiveram executando inconscientemente mensagens que foram enviadas aos pacientes por outros indivíduos ou imaginadas equivocadamente por eles mesmos e que não são mais apropriadas para as condições atuais.

Qualquer que seja a impropriedade de seu conteúdo, essas fitas internas são usadas pela mente inconsciente para construir a auto-imagem física de cada pessoa e o seu senso de próprio valor. Para corrigir os bloqueios e desequilíbrios no nível dos cháckras, é preciso identificar as mensagens ruins que talvez estejamos enviando para nós mesmos e alterar a nossa programação interior. Um dos métodos mais simples, porém eficazes, de se conseguir isso é através do uso consciente de afirmações verbais. Através de prolongadas repetições de afirmações positivas, as  fitas internas destrutivas  contendo mensagens de inadequação, medo e culpa são apagadas e reprogramadas com mensagens de segurança, autoconfiança e amor-próprio.

Grupo Fraternidade EMC.

Esta entrada foi publicada em Cabala e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta