O Tempo e a Sabedoria – Uma História de Amor

Na reunião de hoje, quarta-feira dia 01/07/2015, apresentamos uma mensagem muito interessante em reflexão dos sentimentos no nosso cotidiano, em auto-análise de nosso comportamento e espiritualidade.

imagem 3001

 

Havia uma linda ilha, onde moravam os seguintes sentimentos: a alegria, a tristeza, a vaidade, a sabedoria, o amor e outros.

Um dia avisaram a todos os moradores dessa ilha que ela seria inundada. Apavorado, o amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem. Ele então falou:

– Fujam todos, a ilha será inundada.

Todos correram e pegaram seus barquinhos, para irem a um morro bem alto. Só o amor não se apressou pois queria ficar um pouco mais em sua ilha. Quando já estava quase afogando, correu para pedir ajuda. Estava passando a riqueza e ele disse:

– Riqueza, leva-me com você?

Ela respondeu:

– Não posso, meu barco está cheio de prata e ouro, e você não vai caber.

Passou então a vaidade e ele pediu?

– Oh, vaidade, me leva com você?

– Não posso, você vai sujar o meu barco.

Logo atrás vinha a tristeza:

– Tristeza, posso ir com você?

– Ah… amor, eu estou tão triste que prefiro ir sozinha.

Passou a alegria que nem ouvir o amor chamar por ela.

Já desesperado, achando que ficaria só, o amor começou a chorar. Então parou um barquinho, onde estava um velhinho e falou:

– Sobe, amor, que eu te levo.

O amor ficou tão radiante de felicidade, que até se esqueceu de perguntar o nome do velhinho. Chegando ao morro onde estavam os sentimentos, o amor perguntou à sabedoria:

– Sabedoria, quem era o velhinho que me trouxe?

– O tempo.

– O tempo? Mas por que só o tempo me trouxe até aqui?

– Porque só o tempo é capaz de ajudar a entender um grande amor.


* Trecho do livro “Além do que se Vê”, revisado pelo escritor paranaense Jalil Kamel Elias Bou Assi

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Esta entrada foi publicada em Cabala, Diversos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta