O Sétimo Cháckra. Teurgia e Magia Prática. Desdobramento Astral.

Caros leitores,

Na reunião de hoje, iniciada às 20:00hrs, quarta-feira 04/12/2013, foi sobre desenvolvida sobre os temas do Sétimo Cháckra, do Desdobramento e da Teurgia e Magia Prática.

 

O Sétimo Cháckra

setimo chackra

Cada cháckra, além de ajudar a percepção psíquica, está associado a uma questão espiritual e emocional diferente no desenvolvimento da consciência humana. O sétimo cháckra ou cháckra da coroa, por exemplo, considerado um dos mais elevados centros de vibração do corpo sutil, está associado a uma profunda busca interior: a chamada busca espiritual.

Este cháckra é mais ativo quando as pessoas estão empenhadas em buscas religiosas e espirituais sobre o significado da vida ou numa busca interior de suas origens como seres conscientes e em evolução. A abertura do cháckra da coroa permite que a pessoa penetre nos mais elevados estados de consciência. A ativação consciente desse centro representa o estágio inicial da ascensão para um estado de perfeição espiritual.

No nível físico, este cháckra está ligado à atividade do córtex cerebral e ao funcionamento geral do sistema nervoso. Além disso, a correta ativação do cháckra da coroa influencia a sincronização entre os hemisférios cerebrais direito e esquerdo. O cháckra da coroa também está intimamente ligado à glândula pineal. Para que o cháckra da coroa fique completamente ativo é preciso que a mente, o corpo e o espírito estejam equilibrados.

Na pessoa que tiver o cháckra da coroa aberto, o sétimo centro é representado por uma polaridade energética entre a glândula pineal e os hemisférios cerebrais direito e esquerdo. Anormalidades no fluxo de energia no nível do cháckra da coroa podem se manifestar através de vários tipos de disfunções cerebrais, incluindo psicoses.

 

Teurgia e Magia Prática

 

O Homem é um ternário de corpo, alma e espírito. A alma é a consciência, cujo corpo fluídico é chamado em ocultismo de corpo astral. O corpo físico é o maléfico em nós, entre o íntimo e o corpo, no qual existem dois mediadores, a alma e o astral. O mago deve aprender a movimentar-se em corpo astral, através do infinito. A alma deve aprender a sair do corpo praticando sempre.

Os nossos discípulos devem aprender a viajar em corpo astral, e todos eles devem conhecer seus poderes ocultos.

As quatro condições necessárias para ser mago são as seguintes: saber, sofrer, calar, abater-se e morrer. Aquele que desenvolveu os poderes ocultos tem poder sobres os raios e sobre os vulcões em erupção.

 

Desdobramento Astral

desdobramento astral

O discípulo pergunta ao mestre: – O que é o desdobramento?

Resposta: – Você ignora realmente o que é o desdobramento? Percebo que sua pergunta é sincera. O desdobramento é sumamente simples. Trata-se de um fenômeno natural, como comer, beber, etc. Quando o corpo físico adormece, a alma sai dele e viaja por todas as partes. E ao regressar, ao entrar, novamente no seu corpo, muitas vezes a alma se lembra dos lugares por onde andou, das pessoas com quem falou, etc. As pessoas costumam chamar isso de sonho, mas na realidade é desdobramento.

Pergunta: – Isso pode ser feito à vontade ou apenas durante o sono?

Resposta: – De qualquer forma é preciso do sono para que haja desdobramento. Seja voluntário ou não.

Pergunta: – O desdobramento é perigoso?

Resposta: – Parece-me que se tornar consciente dos próprios fenômenos naturais nunca poderia ser perigoso. Cada um deve estar consciente dos alimentos que come, do que bebe, do estado de saúde em que se encontra e também do processo de desenvolvimento, o qual ocorre em toda criatura viva.

Pergunta: – Explique-me a técnica para que eu possa me desdobrar. Gostaria de ir até Paris.

Resposta: – Tudo aquilo que você faz de forma involuntária e inconsciente. Deve aprender a fazer voluntária e conscientemente. Você sempre se desdobrou. Repito, no momento, mas infelizmente inconsciente. Continue se desdobrando, porém, faça-o agora de uma maneira voluntária e consciente. Quando você sentir aquela lascidão própria do sono, quando começar a adormecer, imagine-se ser um fantasma sutil e vaporoso. Compreende que você é uma alma, que você não é o corpo e que vai sair dele. Sinta-se uma alma, levante-se do leito suavemente, delicadamente, como se levantam as almas. O que estou a dizer deve ser traduzido em atos concretos. Não se trata de pensar e sim de agir. Ao se levantar, dê um saltinho em seu próprio quarto com a intenção decidida de flutuar no espaço. Se você flutuar é porque já está fora do corpo físico e poderá sair do seu quarto e flutuar lá fora. Poderá ir a Paris ou a Londres, ao lugar que quiser. Se não flutuar, é porque se levantou da cama em corpo físico. Então volte ao leito e repita o experimento. Ao se flutuar, o corpo físico fica na cama.

(Adaptado – Samuel Aunweor)

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

 

Esta entrada foi publicada em Cabala e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta