O Herói Anônimo

Segue tema da reunião de hoje, quarta-feira dia 16/03/2016:

O Herói Anônimo

No decorrer da Segunda Guerra Mundial, no auge da expansão japonesa no Pacífico, havia guarnições em praticamente todas as pequenas ilhas espalhadas por uma grande extensão do oceano. Quando passaram a perder a guerra, muitas dessas ilhas foram tomadas, mas algumas passaram desapercebidas. Naquelas ilhas, pequenos grupos de soldados sobreviventes esconderam-se em locais inacessíveis.


Quando a guerra terminou, muitos deles não souberam. Continuaram a lutar, mantendo da melhor forma suas armas enferrujadas e seus uniformes estraçalhados. Imaginemos a situação de tal soldado. Ele foi chamado pelo governo, que o treinou e o enviou a uma ilha selvagem, a fim de defender seu povo contra uma grande ameaça.


Como cidadão obediente e fiel, ele sobreviveu a muitas privações e batalhas durante todos os anos de guerra. Quando a intensidade da batalha diminuiu, ele ficou sozinho ou com poucos sobreviventes. Durante todo o tempo, levou adiante a batalha da melhor maneira possível, sobrevivendo a terríveis circunstâncias. Apesar do calor, dos insetos e das chuvas tropicais, continuou leal às instruções que lhe haviam sido dadas por seu governo há muito tempo.


Como deveria ser tratado este soldado ao ser encontrado? Seria fácil rir dele, chamá-lo de estúpido por continuar a lutar uma guerra que já havia findado. Em vez disso, sempre que um desses soldados era encontrado, um oficial de alta patente do exército japonês colocava seu velho uniforme, levava sua espada de samurai e um antigo barco militar partia para a ilha onde o soldado perdido havia sido localizado.


Quando o soldado era encontrado, o oficial agradecia-lhe, com lágrimas nos olhos, por sua lealdade e coragem. Logo depois, pedia que lhe contasse as experiências pelas quais havia passado e lhe dava as boas-vindas. Quando chegava em casa, era recebido como herói, com desfiles e medalhas, por uma grande massa humana que lhe agradecia e comemorava sua árdua luta e sua volta para seu povo.


(Mestre Anônimo)

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann


Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando Por uma Humanidade Mais Feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta