Maçonaria e a Cabala

Maçonaria e a Cabala

Caros leitores,

Na reunião semanal de hoje, quarta-feira dia 26/02/2014, iniciada às 20:00hrs com a oração habitual, foi sobre Maçonaria e a Cabala.

 Maçonaria e a Cabala

Em hebraico, tradição chama-se “Quabbalah”, por isso denomina-se Cabala, a filosofia que se transmite iniciativamente de geração a geração. Ela se baseia sobre as especulações numéricas, resumidas na teoria dos Sephiroth (números) cujo fim é ligar o relativo ao absoluto, o particular do universal, o finito ao infinito, a terra ao céu. Esta união se obtém por meio da década, da qual cada termo, recebeu sua denominação característica.

Os três primeiros números constituem uma tríade intelectual, que se reflete numa segunda tríade moral ou física, que, por sua vez é apoiada por uma última tríade dinâmica ou física. A coluna central, que corresponde aos números  1,  6,  9  e 10 , é neutra ou andrógina, é conciliatória das oposições da direita e da esquerda, 2, 4 e 7, figuram a col.’. B.’. masculina; ativa e 3, 5 e 8 a col.’. J.’. feminina – passiva.

O simbolismo maçônico concorda “in tatum” com o que a cabala tem de essencial. Sob este ponto de vista, vamos mostrar a coincidência da árvore da vida, da árvore dos Sephirot, com a organização e a hierarquia dos oficiais de uma loja maçônica.

1) A coroa ocupa o lugar do Venerável Mestre dirigindo os trabalhos que os ramos do esquadro ligam a 2, isto é, à sabedoria, a razão, o Orador e a 3, inteligências, compreensão que registra o Secretário.

4) Graça e 5 – rigor, correspondem ao Hospitaleiro e ao Tesoureiro.

6) Beleza cabe ao M.’. de Cer.’. coordenador de todas as formalidades do ritual.

7) Vitoria, firmeza.

8) Esplendor, ordem são próprios dos 1º e 2º Vigilantes.

9) Base ou fundamento se refere ao Ir.’. Exp.’. Guarda da Tradição.

10) Reino ou mundo profano é o domínio do Ir.’. Cobridor, que vela exteriormente pela segurança dos trabalhos.

O número onze foi considerado como particularmente misterioso, sem dúvida porque ele exprime a reunião de 5 / e 6 / ,  que são os algarismos do microcosmo e do macrocosmo.

O verdadeiro iniciado deve concentrar sobre si as energias espalhadas e difusas do ambiente, e dispor assim de uma potência eliminada, proveniente das forças invisíveis ou astrais no sentido iniciático da palavra.

O maçom que se vota de todo coração e com toda a sua inteligência à execução do plano do Grande Arquiteto, pode executar um trabalho superior ao seus recursos pessoais, porque, com ele se mantém solidárias todas as energias que são postas em atividade pela mesma vontade.

A cabala, com a Cadeia de União é efeito e efetivo para todo adepto sincero que, tendo realizado o equilíbrio (8) recebe na medida da corrente que soube estabelecer, transmitindo-a para completar o estudo do número onze; deve-se, além de considerá-lo como soma de 5 e 6, decompô-lo em 4 e 7, 3 e 8, 2 e 9, e, 1 e 10, atribuindo a esses números o valor que eles têm no tríplice ternários e na árvore dos números Sephiroth.

4) e 7 / fazem ressaltar a potência de 11, de um poder de vontade inquebrantável, fixo e positivo (4) associado ao discernimento que, colocado cada qual no seu lugar, sabe dirigir com tino e mandar, estabelecendo a harmonia 7.

2 e 9 representam a irradiação da sabedoria (2) acumulada sobre a pranch.’. de traçar (9).

O iniciado prevê, atua e influi sobre tudo o que deve acontecer, de onde procede o seu poder irresistível.

1 e 10 nos mostram, enfim, a síntese da década. Restabelecida a unidade, o todo se presta, à execução das maravilhas da “causa única”, de que se trata a ‘Tábua de Esmeralda’ de Hermes Trimegistro.

Por outras palavras: “Penetremos até o centro e tudo nos obedecerá”.

* * *

O maior mestre do mundo tinha as fórmulas cabalísticas e o resplendor dos milagres.

A máxima é aquela que: “Quem não tiver um pecado, que atire a primeira pedra”.

Mas o ‘Zohar’ errou contra si mesmo, mas não pecou.

“Ide e não peques mais”.

A preparação do ensinamento maçônico tem também a máxima do simbolismo, o operativo e o cooperativo dos dez Sephiroth, que são a união inigualável para os Obreiros da Paz.

* * *

O Grupo Fraternidade EMC agradece a todos os discípulos, presentes ou não, e em especial a todas as Lojas Maçônicas que estão no mesmo recinto com os novos Veneráveis Irmãos, parabenizando-os, e àqueles que de uma forma ou de outra são a grande Comunicação.

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

* Responsabilidade da escrita, adaptação e edição – Discípulo Elias

* Digitação – Patricia Kelly Hasselmann

Esta entrada foi publicada em Cabala. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta