Introdução à Anatomia Multidimensional Humana

Caros leitores,

Na reunião semanal de hoje, quarta-feira dia 12/02/2014, iniciada às 20:00hrs com a oração habitual, foi sobre a Introdução à Anatomia Multidimensional Humana.

anatomia multedimencional

Uma das principais diferenças entre abordagem das medicinas “newtoniana” e “einsteiniana” são os seus pontos de vista a respeito do corpo humano. Os pensadores mecanicistas ‘newtonianos’, embora sofisticados sistemas químicos que fornecem energia a uma estrutura constituída por nervos, músculos, carnes e ossos.

O corpo físico é visto como um notável mecanismo, uma intrincada maquinaria física até mesmo no nível da estrutura celular.  Discutimos no capítulo um considerável volume de evidências indicando que, no nível subatômico, a natureza física da matéria torna-se indistinta.

A solidez da matéria física é apenas uma ilusão dos nossos sentidos. A nova perspectiva vê a matéria como uma substância composta de partículas que, em última análise, são constituídas de luz congeladas. A dualidade ‘onda/partícula’ da matéria sugere a possibilidade de que a estrutura física humana possua novas propriedades, antes, não levados em consideração, que possibilitam a construção de um novo modelo de corpo físico.

Ainda iremos estudar o prolongamento dos nossos sistemas físicos através de sistemas superiores de energia. Esses sistemas de energia sutil desempenham um papel essencial no ser humano. O sistema físico, longe de ser fechado é apenas um dos diversos sistemas interativos que coexistem num equilíbrio dinâmico.

O que talvez pareça se um radical, desvio do pensamento convencional é a proposição de que todos esses sistemas estão fisicamente sobrepostos um ao outro, exatamente no mesmo espaço. Esses sistemas energéticos superiores, chamados de corpos sutis, são na verdade constituída de matéria, com características de frequência diferentes daquelas do corpo físico.

Conforme discutimos no capítulo, é provável que a matéria – sendo uma espécie de luz congelada – tenha, portanto, características específicas de frequência. A diferença entre a matéria física e a matéria etérica é uma questão apenas de frequência. Sabe-se que energias de frequência diferentes podem coexistir no mesmo espaço sem que se produza uma interação destrutiva.

Esse princípio é demonstrado diariamente pela “salada eletromagnética” dentro da qual trabalhamos e vivemos. Somos constantemente ‘bombardiados’ por ondas de rádios e televisão que possam através de nossas casas e corpos. Essa energia eletromagnética não pode ser detectada pelos nossos olhos e ouvidos, porque se encontra uma faixa de frequência energética situada além do limite de percepção dos nossos órgãos sensoriais.

Se acontecer de ligarmos o televisor, porém, essas energias normalmente invisíveis são transformadas em energias nas faixas de frequência da luz visível e dos sons audíveis, as quais estão dentro dos nossos limites de percepção.

Em virtude de suas freqüências inerentemente distintas, as matérias físicas e etéricas, podem coexistir no mesmo espaço, da mesma forma, como ondas de radio e televisão, que atravessam o mesmo espaço sem que uma interfira com a outra. Ou seja, quando ligamos o televisor não vemos as imagens do canal 2 misturadas com as do canal 7, como as energias são da frequência ligeiramente diferentes; coexistindo no momento, no mesmo espaço, sem interferir uma com a outra.

É apenas por intermédio do nosso aparelho de televisão, atuando como um prolongamento dos nossos sentidos, que podemos chegar a dizer que essas energias estão presentes. O princípio segundo o qual energias de freqüências, diferentes podem ocupar o mesmo lugar no espaço, sem se destruírem mutuamente, tem implicações teóricas para as matérias de freqüências diferentes.

A matriz energética do corpo etérico, isto é, o ‘molde holográfico’ do campo de energia, está superposta à estrutura do corpo físico. É por isso que o efeito da folha fantasma, sempre aparece no espaço, antes ocupada pela porção física da folha. O princípio das diferenças de frequência entre os diversos tipos de matéria também se aplica a matéria com frequência ainda mais altas que as do corpo etérico.

Os corpos de freqüências energéticas mais altas estão ligados ao corpo físico e interagem dinamicamente com ele. Este capítulo tem o propósito de ilustrar a natureza e os princípios que regem esses corpos sutis mais elevados e discutir suas inter-relações com o corpo físico.  Eles se combinam sinergicamente para criar a maior parte da nossa estrutura energética expandida.

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta