Gratidão – dar e receber

Caros leitores, 

Nesta quarta-feira dia 07/10/2021, repassamos o tema que segue:

Gratidão – dar e receber

“Gentilezas geram gentilezas. 

Já escrevi sobre o tema da gentileza, porém sobre o foco da retribuição material: você só recebe aquilo doa.

Hoje uso o mesmo tema, porém com uma profundidade maior. 


Muitas vezes alguém nos socorre de alguns infortúnios da vida e não entendemos o porque; pelo menos não encontramos uma justificativa para que alguém se desdobre a nosso favor. 


Essa ação, a qual hoje chamo de gentileza está acima do que compreendemos como caridade, solidariedade ou até mesmo fraternidade: é um gesto maior que só encontramos respostas na nossa íntima ligação com D’us ( em quem você confia e a quem você faz as suas preces). 


Isso porque sentimos quanto somos tocados pelas bençãos do D’us que nos permitiu essa experiência de vida na terra. 


Um amigo ateu certo dia me disse que em alguns momentos da vida dele sentiu que algo inexplicável aos seus olhos tinha acontecido. “Talvez tenha sido o seu Deus me ajudando “. 
É verdade, D’us opera exatamente dessa forma, agindo onde não temos mais forças. 


Então, devemos esperar em D’us para que nunca desistamos do amor despertado pela nossa fé e da caridade despertada pelo sentimento de que somos todos iguais e Irmãos. 
A Fé, a Caridade e a Esperança nos direcionam para os caminhos de D’us, dando-nos sabedoria para operarmos as gentilezas que circulam no universo. 

Essas gentilezas são energias que carregamos e devemos devolvê-las no espaço para que o equilíbrio universal seja mantido. 


Assim, só devolvemos as gentilezas (energias); nada mais. 


Todos nós já fomos agraciados por alguma gentileza na vida; todos. De um cordial bom dia de uma pessoa desconhecida até uma ajuda para um moribundo no leito da SORTE. 


Essas gentilezas são como investimentos que fazemos no Banco da nossa Existência (uns tem muitos pontos – gentilezas devolvidas no espaço; outros devem demais, nunca foram capazes de devolver uma gentileza ao espaço). 


Como temos essa possibilidade de acumulação dos pontos das gentilezas que devolvemos, podemos também usufruir das gentilezas que alguém já  as devolveu também. 
Um dia, parado numa estrada com problema na bateria do carro, um caminhoneiro parou e guinchou o meu carro até uma oficina mecânica numa cidade próxima. 


Perguntei a ele o porquê quis me ajudar.  Ele disse que já tinha sido socorrido um dia num acidente grave de trânsito. 
O que eu fiz com essa gentileza? Devolvi ao espaço. 


Como? Ajudei uma família que precisa de passagens para um outro Estado. 


A partir disso, entendi que estava em dívida com o meu banco das gentilezas. Tinha muitas gentilezas presas comigo e elas gentilezas foram e têm sido devolvidas. 
Todos nós devemos pensar e analisar se temos gentilezas a serem devolvidas. Sempre temos e teremos; no mínimo uma: a gentileza de estarmos vivos. 

Se alguém achar que não tem gentilezas a serem devolvidas, tem a gentileza que nos foi  ofertada simplesmente pelo dom de estarmos vivos. 

Todos nós temos histórias de gentilezas. Qual são as suas? Já as devolveu ?

As gentilezas aparecem de onde menos esperamos. Alguns dizem que são anjos; outros,  santos etc. 
Não importa a quem você credita as gentilezas recebidas; o que importa são as gentilezas que você precisa devolver ao espaço. 


Gentilezas (energias) não devolvidas desequilibram a natureza das coisas. 
Gentilezas geram gentilezas. Toda vez que nos importamos com o nosso semelhante, um semelhante se importará conosco. 


O que são gentilezas? 


São definidas como a atenção que alguém precisa. Essa atenção pode se dar de diversas formas: socorro com bens materiais, presença na vida dos familiares e amigos, sabermos ouvir a quem precisa de alguém para ouvir, termos empatia com o próximo, entendermos as dores do outro; sermos cordiais, participarmos dos momentos importantes para amigos, Irmãos e familiares. etc. 


Um bom dia pode ser a melhor gentileza para alguém que deseja ouvir bom dia. 
Devemos lançar as gentilezas no espaço, um dia elas retornarão, ainda que em forma de homenagens. 


Um dia todos nós devolveremos gentilezas no espaço; quando a humanidade atingir o ápice da sua perfeição. 
Era o que continha.”

(Irmão Gildiley Antonio)


Colaboração de Alexandre Rosa

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Paz Profunda!
.’.

Fraternalmente,
Grupo Fraternidade EMC.
Trabalhando por uma Humanidade mais Feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala, Exercícios. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe um comentário