Depois de tanta dor, será que aprendemos?

Caros leitores, 

Na reunião de quarta-feira dia 29/07/2020, repassamos a mensagem que segue:

Depois de tanta dor, será que aprendemos?

“Um ancião dotado da sabedoria que o tempo traz, substituindo a vitalidade do corpo pela capacidade para se enxergar além das aparências, observa a paisagem despido do julgar e com a serenidade peculiar de seus modos de ser e viver, consegue fazer o seguinte diagnóstico: quanto sofrimento nascido da insensatez dos homens, que nem mesmo na dor conseguem sublimar a vaidade abrindo espaço à reflexão.


Quando parece haver um arrefecimento nos ânimos fica claro aos humildes que se permitem à reflexão, que a situação atual de nosso orbe de fato é delicada, porém muita coisa se tornou mais grave ainda, em virtude da insanidade dos homens que eivados de orgulho não são capazes de abrir mão de sua pseudo sabedoria, para conceber a possibilidade do contraditório.


Muitos erros foram cometidos por todos, sendo que ninguém tem certeza de nada, mas se houvesse menos soberba e mais fraternidade muitas dores poderiam ter sido evitadas, evidenciando aos lúcidos o primitivismo dos homens que nem de joelho pelo peso do medo são capazes de renunciar ao ego.


Depois de tantas perdas sejam afetivas ou materiais o que conseguimos aprender com tudo?
A existência do homem se cumpre em ciclos que podem ser mais longos ou mais breves dependendo da sua capacidade de aprender com cada fato, pois há lições implícitas em tudo, porém quando o instinto toma lugar na casa mental do homem relegando à consciência a mera retórica tudo vira caos e os oportunistas se apossam da turba que caminha sem a menor noção de onde está e para aonde se deve ir.


Que nunca nos falte a serenidade para enxergar que contra certos fatos os homens são totalmente impotentes, cabendo-lhes somente ter a humildade para aceitar que vale mais ser feliz do que ter razão, respeitando e sabendo se respeitar, sendo que nenhum de nós possui a totalidade das virtudes, pois nesse momento ficou óbvio que ninguém se encontra imune a dor, no qual a única diferença é que alguns a torna um degrau para que se atinja níveis mais altos da consciência de si mesmo, enquanto outros sucumbem transformando tudo em martírio, porque não aceitam a sua impotência perante aquilo que está além de sua vontade.”

Por:   Renato Moura

Fonte:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3082844165169412&set=a.1026339590819890&type=3&theater

Paz Profunda!
.’.

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais Feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta