Concentração

Caros leitores,

A reunião de hoje, quarta-feira dia 07/08/2013, iniciada às 20:00hrs, abrangeu-se o tema da Concentração. E na continuidade dos estudos dos Elementais, segue sobre as Salamandras.

concentração yogaA vida moderna, com todas as suas conseqüências, faz com que o Homem receba diariamente milhares de informações através dos cinco sentidos. Essa recepção das informações, todavia, torna-se cada vez mais imperfeita, pois as preocupações que temos com a nossa sobrevivência num mundo agitado fazem com que releguemos ao segundo plano a percepção sensorial.

De fato, temos cinco sentidos atuando permanentemente, e pouco percebemos da realidade que nos cerca. A visão e a audição, responsáveis pela maior parte das informações que recebemos, captam de forma muito imperfeita as formas, cores e sons; isto coloca-nos vivendo intensamente, mas ao mesmo tempo, inconscientes da realidade que nos cerca.

Além dos cinco sentidos tradicionais, temos outros sentidos, como o do equilíbrio, do movimento e da atenção.

Atenção implica em que a nossa consciência seja dirigida até um objeto que provocou um estímulo, o qual pode ser consciente ou inconsciente. Só nos interessa, no presente caso, a atenção consciente, que é o ponto de partida para que haja a concentração.

OBJETO —> ESTÍMULO —> ATENÇÃO

O ciclo completa-se e o processo termina.

A concentração compreende processos prévios, abrangendo as diversas etapas de um processo voluntário.

As três etapas da concentração são:

DELIBERAÇÃO: Analisar o quê fazer com o objeto da nossa atenção.

DECISÃO: É o desenvolvimento mental da ação que temos de realizar para alcançarmos o nosso objetivo.

EXECUÇÃO: Levar a termo o que nos propusemos executar na 2ª. Etapa.

Como já vimos, para que haja concentração é necessário que haja um processo prévio de atenção voluntária. Essa atenção ocorrerá quando de nossa parte exista motivação. A motivação é, pois, um fator essencial para a concentração.

Se a nossa motivação for insuficiente, nossa atenção logo será desviada do objeto, não se completando assim o ciclo.

As Salamandras

As salamandras são os elementais do fogo, regidos por Hélios e Vesta. Encarregados da coordenação do Fogo Universal (gerador central das próprias chamas, a partir da violeta), são os elementais detentores das funções mais significativas para a manutenção da vida de todas as formas terrestres.

Salamandras

Executam continuamente a purificação pelo fogo dos corpos físico, astral e mental dos entes humanos.

As salamandras guardam afinidade com os indivíduos humanos atuantes, vigorosos e energéticos. Sobremaneira construtivas e energizantes, são avessas às pessoas inermes, acomodadas, apáticas e de vontade débil. Uma de suas mais importantes missões é pulverizar os fluídos impuros gerados pelas ondas mentais humanas quando estas veiculam mensagens destrutivas, ou dissolver fluxos miasmáticos engendrados por emoções baixas tantas vezes alimentadas pelos corações humanos – domínio do ódio, cólera, inveja, rancor.

Por outro lado, as salamandras comandam o mais expansivo e perigoso dos elementais, que se é fonte de calor, conforto, aquecimento dos próprios alimentos e muitos outros benefícios, pode ser converter, principalmente graças à incapacidade humana de controlá-lo e mesmo à destrutividade humana, num terrível agente de morte e destruição (incêndios que aniquilam florestas inteiras, armas, fogos de artifício, bombas, etc).

Esta entrada foi publicada em Cabala e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta