A primeira célula e suas informações de geração à geração

Caros leitores,

O tema abordado na última reunião (28-08-2012) foi: “A primeira célula e suas informações de geração à geração.”

Cientistas de todo o mundo estão envolvidos em uma grande querela, tentando descobrir como teria sido a primeira célula-viva. Não é algo fácil de se descobrir, considerando que possa ter existido há pelo menos 3.500 anos e não temos uma maquina do tempo que nos permita regressar e investigar. Ar, água, terra e sol, anímico,, atração.

Mas ninguém nos proíbe de senti-la. Para inicio de conversa, todas as plantas e animais são compostos de células, e cada uma delas – não importa se falamos de uma minhoca, de um ser humano ou de uma flor possuem características particulares.

Dentro de cada célula existe um objeto pequenino e arredondado, que chamamos de núcleo, onde se processam os cromossomos que vão gerar novas células. E todas as células que possuem um núcleo chamado “eucariontes”, termo grego que significa “Boa noz”. Assim todas as células do corpo do presado, são eucariontes, como o são as células de outros animais, plantas, mesmo as dos organismos unicelulares como as amebas. Mesmo as dos organismos não obstante, é pouco provável que a primeira célula tenha sido eucarionte, porque estas são pouco complexas. A lógica indica que deveria ter predecessores mais simples, como de resto até hoje existem células sem núcleo, muito pequenas para que deveriam ter predecessores ou material necessário à sua reprodução daí serem chamadas de células auto-reprodutivas, porque se constituem somente em núcleo único. Por isso chamadas de “procariontes”, isto é antes do núcleo, porque devem ter envolvido antes da eucariontes, estas sim uma descendência daquelas.

As bactérias são exemplo de procariontes; as mais conhecidas são formadas de dois grupos: bactérias ordinárias, que não podem fabricar seus próprios alimentos e por isto vivem das matérias orgânicas, e as que tem clorofila e podem fabricar seus alimentos são chamadas de “cyanobactericas”, cyan no grego significa AZUL, pois a clorofila lhes dá um tom azul esverdiado. Juntas as bactérias e as cyanobacterias são chamadas de “eubactérias” que quer dizer Boas Bacterias. As eubactérias fabricam seus alimentos da mesma forma que as plantas comuns, ou vivem de materiais orgânicos como os animais, parecendo organismos naturais. Não obstante, existem três grupos de procariontes que obtém sua energia de maneira estranha e poderiam haver existido muito antes que as eubactérias. São as conhecidas “arqueobacterias” que são Bacterias Antigas. Estes grupos são: 1) as “halobactérias” ou “bactérias salgadas” que florescem nas águas com concentração tão alta de sal que matariam células de qualquer outro gênero e que utilizam a luz solar como fonte de energia; 2) as “metanógenas”, produtoras de metano, que vivem em águas termais onde não existe oxigênio e por isto convertem o dióxido de carbono em metano; 3) os “cocitos”, conhecidos como células do amanhecer, que vivem em águas termais ricas em enchofre e daí produzem modificações químicas em seus componentes.

Cabe então uma pergunta: Qual destes tipos de arqueobactérias foi a primeira e como dele se desenvolveram as demais¿

Uma das respostas seria considerarmos que todas as células sejam as eucariontes, eubactérias ou as arqueobactérias contém os ácidos nucleicos. Estes estão compostos de cadeia de nucleóides e é muito possível identificar quais os nucleóides que estão presentes e, onde em uma cadeia. As espécies aparentadas contém ácidos nucleicos com cadeias muito semelhantes. De fato, a modificação lenta na natureza das cadeias de nucleóides é o que causa sua evolução. Os cientistas podem estimar quão seguidas são as vivencias desses câmbios e estudando as diferenças nas cadeias, determinarem quão próximas estão relacionada duas espécies e há quanto tempo poderiam ter tido um antecessor comum. A Universidade da Califórnia anunciou no principio deste ano os resultados de um novo programa de computadores que analisou as cadeias de nucleóides nos “ribossomos”, (uma partícula celular essencial na produção de proteínas de vários tipos de células), e acredita-se que os resultados obtidos mostram que as células mais antigas são os cócitos, e que fazem uns 3.500.000 anos que as primeiras células se formaram, e que vivam em águas termais ferventes, ricas de enxofre, ele foi mais adiante. Os resultados mostram que os descendentes destes cócitos se dividiram em dois grupos: em um descendem os outros procariontes, os metanógenos, as halobactérias e as eubactérias. Do segundo grupo descendem os eucariontes. Noutras palavras somos os descendentes diretos dos cócitos e os procariontes são nossos primos distantes. Todavia as discussões seguem acaloradas.

Esta entrada foi publicada em Cabala e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta