A Alegria da Ressurreição

Na reunião de hoje, quarta-feira dia 20/05/2015, o tema de hoje relaciona-se com todos aqueles que tem lutado contra o ciclo vicioso do cotidiano. 

“Eu vinha justamente anunciar-lhe que,

contra toda expectativa, havia realizado o conserto!

Quando te houveres consolado, disse o principezinho

(a gente sempre se consola), tu se sentirás contente por me teres conhecido.

Tu serás sempre meu amigo. Terás vontade de rir comigo.

E abrirás, às vezes, a janela à toa, por gosto…

E teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir,

olhando o céu…”

(Exupéry)

Tema de Reunião 20-05-2015

A pane, às vezes, parece interminável. Sem reparo. A sexta-feira da Paixão parece não ter fim. O calvário, impossível de subir.

Trevas, incertezas, desânimos, desilusões, angústias, frustrações, desesperos, ansiedades, medos… Tudo que há de negativo joga-se de vez sobre a gente. Como a cruz que o Cristo carregou. Pesada demais para um homem só. No entanto, com o supremo esforço de sua vontade e com o auxílio dos outros, Ele chegou. Caindo, prostrado ao fardo terrível que lhe impuseram – e quantos fardos já nos impuseram também ao longo de nossa vida! … Ele avançou, sem se entregar ao derrotismo que se antevia.

E a manha da Ressurreição brilhou para sempre!

Não sem lágrimas, não sem sangue, não sem dor. Glorioso tornou-se o que fora morte. Transformada em esplendor, a escuridão que cobriu a terra.

Assim é conosco, amigo. Se não desanimarmos, conheceremos a vitória.

Não há calvário que não acabe, quando a fé e a esperança dirigem nossos passos.

Podemos tropeçar, cair, quebrar-nos… mas o amor à vida nos erguerá bem mais vezes do que tivermos caído.

“Contra toda expectativa” conseguimos “realizar o conserto”. O que nos parecia impossível, eis que se torna realidade!

– E conhecermos o consolo do guerreiro coroado de êxito.

– Sentiremos a alegria da conquista árdua, transmutada em vida nova.

– Experimentaremos o sabor amargo da lágrima, desfeito em risos de triunfo.

Seremos filhos da ressurreição!

Saberemos sorrir de nov, cantar à plena voz, vibrar com a vida.

O gosto por nós mesmos,  a coragem de lutar, o ânimos, o entusiasmo, a boa disposição: tudo retornará ao dia-a-dia de nossa vida. Alguém nos encontrará, rindo à toa, olhando o céu… e pensará que enlouquecemos. É que não entende que “o que faz a beleza de tudo, é invisível…”

E as explicações de nada valerão. Só o compreende quem ressuscitou. E nascerá um sentido novo para todas as coisas. Um cântico novo, para lábios pouco afeitos aos hinos de alegria.

E quantas vezes somos descrentes da vitória! Temos a impressão que a morte vencerá, em definitivo! Que as barreiras são intransponíveis. Que os problemas são insolúveis. Derrotados. Para sempre. Toda tentativa é vã. O fracasso nos prostrou. Estamos prestes a entregar os pontos. A desistir de tudo.

Você nunca teve essa impressão? … Se você a conhece e sabe o quanto ela é destrutiva e amarga, creia que a ressurreição é possível! Comece hoje mesmo a programá-la. E tenha a certeza absoluta de que ela vai acontecer. Não duvide um instante!

Busque a luz, que iluminará com novo brilho seu olhar tristonho e vago.

Busque a alegria, que reacenderá a chama apagada de seu otimismo.

Busque a vida, e você saberá, com toda clareza, que ventura significa “estar morto e reviver”.

Seu coração está em festa! Deixe-o festejar o gosto da ressurreição!



* Carlos Afonso Schmtt,   Revisado pelo escritor paranaense Jalil Kamel Elias Bou Assi

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

* Responsabilidade escrita, revisão, edição – Discípulo Elias

* Digitação, revisão – Patricia Kelly Hasselmann

Esta entrada foi publicada em Orações, Pesquisas e Estudos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta