Caros leitores,

Na reunião semanal de hoje, quarta-feira dia 16/04/2014, após a oração habitual, apresentamos abaixo tema sobre o Uno e os Versos.

 o uno a causa o verso efeito

EU SOU um símbolo. Tudo é símbolo para nosso entendimento. Os símbolos jamais são abandonados. Podem ser os números cultivados para a grandeza de sua essência, espírito, físico e intelecto, anatomia e corpos vibrarão em frequência.

A bipolaridade das antíteses é complementar – se fosse uma bipolaridade contrária, nunca nasceria a grande síntese da luz, do calor, do movimento, filhos da bipolaridade complementar positivo-negativa.

O Homem Univérsico é uma síntese complementar do Uno e do Verso.

Não é Verso sem Uno, como o profano.

Nem é Uno sem Verso, como o místico.

Mas é o Uno no Infinito que se revela no Verso dos Finitos – como o próprio Universo.

Assim é o Homem Univérsico, cheio de poder e de verdade.

 

UNO

Que se entende por essa sílaba UNO, na palavra Universo?

O UNO simboliza o Ser, o Absoluto, o Infinito, a Realidade, a Essência. Para simplificar poderemos afirmar: UNO é a Essência.

Essência vem do verbo latino ‘esse’, que quer dizer ‘ser’.

A essência é, pois, o Ser.

Que se entende por Ser ou Essência? Pode-se provar a Essência, o Ser?

Não. Provar só se podem as facticidades, mas não a Realidade, o Ser, o Essência.

E, se não se pode provar a Ser, então não é certa a sua realidade. A realidade do Ser é certa.

Mas, se não pode ser provada?

A certeza não vem das provas, diz Einstein.

Se a certeza do Ser é anterior às provas, para que então as provas?

Mais uma vez respondemos com as palavras de Einstein: as provas servem para justificar a certeza para aqueles que não têm certeza.

– E, depois de lhes justificar a certeza, eles têm certeza?

– Não, a certeza não vem das provas, nem da tentativa de justificação.

– Donde vem a certeza?

– A certeza vem da intuição direta da própria realidade.

– Intuição? Que é isto?

– É o que a palavra diz: ‘in’ (dentro), ‘tuir’ (ver). A intuição é uma “visão de dentro”.

– De dentro de quê?

– De dentro das facticidades acessíveis aos sentidos e ao intelecto.

– O que há para além dos sentidos e do intelecto?

– Há a Razão, que os gregos chamavam LÓGOS. A Razão é a mais alta faculdade pela qual o homem entra em contato direto com a própria Realidade, para além das facticidades; em contato direto com Essência, para além de todas as existências. Facticidades ou Existências são como que os invólucros, acessíveis aos sentidos e ao intelecto, ao passo que o centro e cerne são a Realidade, o Ser, a Essência. Disse um grande pensador que ela é a “alma do universo”, ao passo que a facticidades periféricas são apenas o corpo do Universo. A alma gera o corpo, assim como a Essência Uma é única, e produz as Existências múltiplas.

– A Razão, o Lógos, inclui a Realidade do Ser, da Essência?

– Exatamente.

– E por que tão poucos homens sabem disto?

– Porque a imensa maioria das massas humanas não chegou a uma evolução suficiente para intuir a Essência do Ser, mas percebe e analisa apenas a existência das facticidades.

– Que é necessário para ter intuição, visão, do Ser?

– Uma só coisa é necessária: ultrapassar as periferias da simples percepção sensorial e análise intelectual.

– Como se realiza isso?

– Eclipsando temporariamente toda a consciência das facticidades, das existências periféricas.

– Que acontece depois?

– Desperta a consciência do Ser, do Uno.

 

Fraternalmente,

Grupo Fraternidade EMC.

Trabalhando por uma Humanidade mais feliz!

Esta entrada foi publicada em Cabala. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta